A indicação de passeio para o final de semana de hoje é o Templo Zu Lai, um cantinho cheio de paz nesse caos que é São Paulo.

Conheci em 2015 dias antes de embarcar para o intercâmbio na Itália. O dia estava nublado e garoou um pouco, mas, nada impediu a gente (eu e o Erik) de curtirmos uma manha bem gostosinha no espaço.

LEIA MAIS:  SAINT DECOR CAFÉ BISTRÔ UM PEDACINHO DE PARIS EM SÃO PAULO

O Templo Zu lai é gigantesco e monumental, é um dentre muitos templos do Monastério Fo Guang Shan espalhados pelo mundo. Tem suas raízes no Budismo Maaiana, cuja tradição enfatiza que a natureza búdica está ao alcance de todos. Seus praticantes empenham-se em aplicar os ensinamentos do Buda no cotidiano, advindo daí a denominação de Budismo Humanista.

Claro que por ser um espaço religioso tem algumas regras que são imprescindíveis: não é permitido animais de estimação, decotes ou bermudas, não se pode beijar, abraçar ou qualquer contato intimo. Confira a lista toda para não passar vergonha!

Dentro do espaço existem jardins, o mais famoso é com certeza o Jardim dos 18 Arhats que fica bem na entrada. é bem interessante conhecer a história do espaço antes de visitar, as feições das estátuas despertam muita curiosidade em entender e as vezes não temos plaquinhas com qualquer informação.
Como lição de casa clica nesse link e descubra um pouco mais sobre o Jardim dos 18 Arhats.

O lugar possui uma biblioteca gigante que podemos conferir artigos budistas impressionantes!

Além das atividades em curso, o Templo Zu Lai empenha-se nas seguintes realizações futuras: centros meditação, clínica móvel, creche, casa de repouso, dentre outros eventos que podem acontecer – é só ficar ligado na agenda.

Pra chegar no Templo Zu Lai nao tem erro, quem não quer dirigir pode pagar uma taxa de 15,00 reais e tem garantido por um fretado autorizado ida e volta para São Paulo partindo da R. Dr. Rodrigo Silva, ao lado da loja Ikesaki próximo a Estação Liberdade do Metrô, mas só funciona aos domingos.

O endereço é Estrada Municipal Fernando Nobre, 1461 – Parque Rincão, Cotia, o estacionamento é gratuito. Sobre o horário de funcionamento altera de acordo com a data, então é mais fácil clicar aqui e descobrir.

Se você for, não esquece de compartilhar aqui nos comentários o que achou do local!

Primeiramente não confunda manga bufante com manga “flares” ! O que a caracteriza é esse volume todo finalizando com um elástico, como um balão. Fácil ?

Originárias do seculo XIX – Vitoriana. O que a principio era do guarda-roupa masculino, onde representavam poder e masculinidade favorecendo uma silhueta geométrica com ombros exageradamente largos com uma inspiração originaria da Turquia e do Oriente Médio: O dólmã, uma sobreveste solta como uma capa, tinha mangas feitas com as dobras dos próprios tecidos.

 

LEIA +   O RETORNO DA MEIA ARRASTÃO OU FISHNET
LEIA + OMBRO DE FORA, 12 LOOKS ESTILOSOS!

 

Foi só em 1830 que ela se popularizou recebendo o nome em francês de manche gigot, que em português vai nos dar a “manga presunto” e foi nessa época que apareceu no armário feminino com seu ar mais romântico, rompendo um elo com a era neoclássico.

O Romantismo defendeu a liberação das emoções do homem em detrimento de todo racionalismo iluminista anterior, que limitava as emoções e a criatividade (fonte).

Românticas e contemporâneas as mangas bufantes são versáteis em qualquer ocasião.

As mangas bufantes podem ser bem versáteis e contemporâneas, elas me lembram muito o estilo Blair Waldorf, uma coisa meio lady like, girlie como preferir denominar.

Não gosto de pensar que na moda exista um tabu, mas existem pontos que podemos ter mais atenção buscando sempre a harmonia da composição. A palavra de ordem é equilíbrio! Observe bem o volume e tente mantem proporções. Isso não é uma regra, claro que não! Mas para quem tem medo de arriscar essa é uma boa dica.

As mangas bufantes podem aparecer de formas mais fluidas e leves dependendo da estação do ano e ficam bem com qualquer outra peça, depende da proposta e ocasião. Moda é arte e personalidade tudo é valido!

Foram muito comuns nos anos 70, então, aconselho dar um pulo em brechós ou no guarda-roupa da mãe, avó. Aproveita e compartilha o post com elas, já deixa a indireta de uma visita nada interessada.

 

 

Mês passado fui conhecer Chez Oscar, um restaurante com diversos ambientes integrados: loja de livros e vinis na parte de baixo, um bar secreto acima, e tudo isso e comida boa com preço justo.

Não lembro ao certo a frase de pegando fogo que ele compara um burguer king com o restaurante que trabalha, mas basicamente diz, que a grande diferença entre eles não é apenas a comida, mas a experiencia, o momento a sensação.

 

Em fast food vamos sabendo exatamente o que queremos, de forma padrão. Nesses locais vivenciamos a gastronomia, pelo ambiente e paladar.

Não sou nenhuma crítica, nem cozinhar direito eu sei. Também não entenda isso como prepotência ou soberba da minha parte mas, eu prefiro ficar 3 semanas sem sair para comer um McDonalds para na quarta ter o prazer de conhecer lugares como Chez, que nos inspiram em todos os sentidos.

tem gente que faz bem pra gente. tem gente que inspira a gente. tem gente que ilumina a gente. e tem vocês <3 tudo isso e mais um pouco!

Un post condiviso da XOFANNA // CAOSARRUMADO.COM (@caosarrumado) in data:

O AMBIENTE

Como já disse: é composto por três espaços. O térreo fica um café mais loja de vinis e livros. O segundo fica o restaurante com duas alas. Uma interna e uma sacada. Já a terceira área é um bar na parte superior de uma vista inigualável e mais uma bela sacada de desfrute.

A decoração do Chez tende a um estilo escandinavo, o ambiente é composto por mesas rústicas, velas, plantas e uma luz calorosa e acolhedora.

 

SAINT DECOR CAFÉ BISTRÔ UM PEDACINHO DE PARIS EM SÃO PAULO

 

A COMIDA

Com um cardápio recheado de opções fica complicado decidir. O buffet conta com massas, carnes, saladas e sobremesas. Na noite que fui com meus amigos, provei minha pasta favorita na versão deles: ravióli de espinafre com molho de gorgonzola e amêndoas torradas. Me surpreendi com o sabor, achei muito bom mesmo, só a massa que veio al dente (aprendi lá na Itália que ravióli tem que ser molinho).

De sobremesa Bianca (a moça mega gentil que nós serviu aquela noite) sugeriu o bolo de chocolate 70% cacau com sorvete. A porção é um deleite e 3 pessoas deslocaram fervorosamente sem passar vontade.

O VALOR

O valor médio por pessoa depende do que você pede claro. No meu caso alouca das massas e vegetariana custa 60/70 reais a noite. Incluindo uma massa, Gênova, sobremesa e um dos melhores atendimentos.

Isso é outro ponto a comentar. Desde a recepção a cozinha todos são extremamente prestativos e solicitou completando a experiência do Chez Oscar.

ONDE FICA

Da para ir de metro ou de carro. O espaço conta com um estacionamento com manobrista.

Localizado na Oscar Freire numero 1128. O grupo ainda conta com mais duas casas. O bar secreto é o Chez Mis.

 

Esse é um dos lugares que mais gostei de conhecer e quero muito voltar em breve. Com comida boa, ambiente agradável e preço justo, Chez Oscar satisfaz e muito nossas expectativas, vale a visita!

Theme developed by Difluir - http://themes.difluir.com