inventando moda & carimbando passaportes

COMO ME SINTO, VIVER NA ITÁLIA

O que você não imagina quando pensa em morar fora

, por fialhogi

No português mais claro, viver é o meio termo entre realidade e expectativa, e para pessoas como eu, que vivem pela criatividade, criar expectativas é algo natural, genuíno e espontâneo.

Justamente por isso, muitas e muitas vezes essa expectativa se torna ansiedade e vem aquele sentimento de frustração e angústia. Às vezes só esquecemos que morar fora (do seu bairro ou país) é chegar em um local novo em que não conhece ninguém, que mal fala a língua, ninguém sabe quem você é, você não tem um histórico, um vínculo um círculo de conhecidos, é como se você tivesse nascido agora.

E um mundo novo que nasce também, e você precisa reaprender a andar, falar, criar laços, escrever uma história. Só que com toda angústia, expectativas, medos e inseguranças de uma pessoa adulta.

Monica Garwood
Monica Garwood

Desde que nos mudamos percebemos como temos que provar sempre, temos que nos esforçar 4 vezes mais para ser acima da média de um nativo. E saber que mesmo que nossa universidade valha alguma coisa, nosso curriculum jamais será (mesmo que muito bom) como o de uma pessoa que nasceu e cresceu aqui.

Morar fora é, muitas vezes, mudar de profissão e se encaixar em outra que dê para pagar as contas, temporariamente ou não, mesmo depois de 10 anos ou mais em um cargo estável no Brasil.

Sabe eu consigo entender que a grama do vizinho é sempre mais verde, porém todos os lugares tem seus prós e contras, sim é difícil de enxergar os contras mas eles existem, eu te garanto.

Eu entendo que você ame a cultura e comida de outro lugar, porém entenda que se você tem uma cultura é muito difícil se adaptar a outra.

Morar fora é reaprender a viver. É chegar em uma cidade e não entender o metrô, a máquina de lavar, os produtos no mercado e serviços locais, mas mesmo assim se aventurar, pois é aquilo ou nada. Não tem opção.

Outro detalhe é a questão do dinheiro, não é porque você ganha em outra moeda que é mais forte que o real, você é rico. Acho que as pessoas pensam que se você ganha em euro, seguramente é rico, porque imagina só ganhar em uma moeda que vale mais.

Porém as pessoas esquecem que morando na Itália, ganhando em euro, você infelizmente gasta em euros, talvez seu aluguel não seja simplesmente 10% do seu salário, talvez custe quase 40%. E no final das contas você não tem essa sobra de 10 mil euros ou dólares por mês.

As vezes eu ouço gente falando que adoraria viver em algum lugar porque imagina só poder tomar esses vinhos ou comprar esses queijos baratos. Queria deixar claro que as vezes (vou me usar de exemplo), você compra um vinho super barato e uma fruta como maracujá super cara.

Isso não quer dizer que morar fora seja algo ruim, na verdade estamos nossa melhor fase, mas não é porque você está em outro pais que as coisas vão ser mais fáceis, muitas vezes são até mais difíceis.

Mas você precisa ter em mente o seu propósito o que é prioridade, e pra gente prioridade é qualidade de vida e segurança, e isso infelizmente não tínhamos em Sao Paulo.

Eu morro de saudade da minha cidade, da minha paulista. Ainda não tenho amigos suficientes para completar uma mão, me sinto muito sozinha na maioria das vezes. Mas não arredo o pé daqui.

Eu sei que a adaptação varia de pessoa para pessoa, que não tem fórmula e que tenho mil privilégios que não dificulta ainda mais as coisas, sinto muito por muita gente que vem para cá e tem que enfrentar barras pesadíssimas.

Esse não um post para te desmotivar, mas para deixar claro as condições, não acreditem que tudo é perfeito e que tudo vai dar certo. Não é bem assim.

Comente!

Gi Fialho

Comente este post!