/ Feminismo

Livros sempre fizeram parte da minha vida. Até uns anos atras era comum ler pelo menos um livro por mês, mesmo na escola quando ninguém achava “cool” ler, lá estava Xofanna com um, quando sofri bullying foram os livros que me salvaram (e assim conheci a Meg Cabot – autora do Diário da Princesa e me apaixonei ainda mais pelo universo Harry Potter). Com o passar dos anos fui trocando (de forma involuntária) páginas de papel por abas abertas no chrome. Cresci no escritório do meu avô cercada por seus papéis – foi inclusive ele quem me ensinou a desenhar – então para mim é muito difícil ler online, preciso ter o contato com o papel, tenho prazer em sentir seu perfume (as vezes entro em livrarias e quando ninguém esta olhando fico cheirando livros e isso talvez seja a coisa mais estranha sobre minha pessoa). Por isso uma das minhas metas de 2017 é voltar com minha rotina de leitura, sinto que mais do que nunca preciso retomar esse meu hábito, não só pela diversão mas para melhorar minha escrita aqui no blog. Separei 12 títulos que quero muito ler esse ano e convido vocês a lerem comigo.

Na lista temos livros de moda, romances, planners e biografias, bem variados em sua maioria mulheres como autoras (acho que apenas dois livros da lista foram escritos por homens). Vou “quebrar” o post aqui porque ficou longo por conta das sinopses, mas se você ficou curiosa é só clicar em – LER MAIS

 

E se você tem algum título para me indicar por favor deixe nos comentários e estou pensando seriamente em criar um clube do livro ou algo assim para discutirmos sobre os títulos. Deixe aqui nos comentários sugestões de autores e o que quiserem e não esqueçam de seguir o Caos no instagram e facebook.

 

Continue lendo →

Gi, tem 22 outonos, fez as malas e foi morar sozinha em outro pais. Paulista, adora descobrir novos lugares em São Paulo e criar listas com o namorado (que mora no Brasil) vegetariana, apaixonada por tudo que é lúdico, exótico, doce e colorido.

A 42° semana de moda de São Paulo (SPFW) terminou na sexta dia 28 de outubro: Transformação, transgressão, transição foi o tema escolhido, chamando atenção para as mudanças do cenário com novas oportunidades e formas de criar, revelando novos talentos provenientes da Casa dos criadores, evento de moda em ascensão que acontece duas vezes por ano em São Paulo, tem como objetivo principal criar um espaço que permitisse a estes estilistas uma proximidade maior com o mercado da moda brasileira, com criação autoral genuína e revelando sempre novos talentos. E é nesse momento que questiono o lugar da mulher no mercado, além das primeiras filas, mas como criadora. Atualmente menos de 50% dos estilistas apresentados são mulheres e nenhum dos dois eventos se salva.

“O prefixo trans traduz a idéia de ir além. Serve para nos provocar. Sozinho ou em associação com outras palavras, ele é a marca dessa edição”. Analisando as coleções e novas propostas, podemos sim reconhecer essa essência, a comprovação disso foram os desfiles com maior destaque de Ronaldo Fraga e LAB.

VOGUE, SPFW E O LUGAR DA MULHER

Modelos trans e negras ao lados dos estilitas.

O primeiro trouxe para passarela, como um ato político descrito pelo próprio, um casting composto por 28 mulheres transexuais como forma de protesto aos números absurdos de violência contra o gênero, o que foi muito legal e representativo, hoje somos o pais que mais mata no mundo transexuais e travestis! Ja a segunda, teve sua estréia no evento, liderada pelo rapper Emicida e seu irmão, Evandro Fióti com direção criativa de João Pimenta apresentou uma coleção inspirada pelas ruas e hip hop, cheia de diversidade e pluralidade que podemos ver no streat style com modelos fora do “padrão”, mulheres gordinhas, carecas, negras… Original, genuína e urbana com referências bem paulistas. A marca ja tinha lançado sua primeira linha de roupas masculinas na Casa dos Criadores em 2015 com styling de João Pimenta que hoje é diretor criativo, assinando uma coleção cápsula em parceria com a West Coast com nome “Corre Sempre”. Mas reparem que mesmo incrivel, os protagonistas são homens.

Sem desmerecer nenhum profissional, me questiono como pode termos mais de 80% das salas de aulas compostas por mulheres, a própria mão-de-obra ser quase completa por mulheres, além de sermos o público alvo incansável e mesmo assim não completamos 50% dos nomes apresentados nos eventos, ocupamos menos de 1/4 das posições tomadas pela indústria têxtil. Dos 28 estilistas apenas 13 eram mulheres, o site modefica (que me deu ainda mais gás para escrever esse post) da mais detalhes sobre a desigualdade de gênero dentro da moda.

Aparentemente a mulher só serve para consumir e trabalhar em revista, e mesmo assim se formos considerar as dicas I N C R I V E I S da VOGUE vemos um quadro realmente alarmante. Aqui não falamos sobre a capacidade, esforço, empenho e outras coisinhas, os requerimentos para as mulheres que sonham com o trabalho na revista são: Dormir apenas 5 horas por noite, Saber fazer as unhas e se maquiar sozinha, Gostar de tirar selfie com os outros. Soa surreal eu sei, mas você pode conferir neste link aqui. É fútil e ofensivo imaginar que estudamos 4 longos anos para nos prestar a esse papel.

VOGUE, SPFW E O LUGAR DA MULHER

Somos protagonista, mulheres reais e donas de nossos sonhos.

Ou seja, buscamos reconhecimento profissional, uma oportunidade para transformar esse quadro e observamos isso: Eventos de moda sem representatividade de liderança criativa feminina, revistas de moda cortando o próprio pescoço valorizando essa idéia mequetrefe de O Diabo veste Prada. Hoje encontramos uma VOGUE em declínio, sem compromisso e qualidade, já sabemos o porque.

O mercado fashion hoje, espera uma mulher que não existe. Que viva de coadjuvante vendendo uma idéia de perfeição, de balado mas que nunca assuma a posição criativa como líder. Como se não fôssemos capaz de ir além. É limitador e triste. Com um tema tão legal para o SPFW , faltou essa transformação né? Tirar do papel a utopia de uma moda mais justa para as mulheres. Queremos apenas espaço, que de resto a gente se garante!

Gi, tem 22 outonos, fez as malas e foi morar sozinha em outro pais. Paulista, adora descobrir novos lugares em São Paulo e criar listas com o namorado (que mora no Brasil) vegetariana, apaixonada por tudo que é lúdico, exótico, doce e colorido.

Sugestão ou uma wishilist disfarçada, a dica são 7 presentes criativos, empoderados e produzidos no Brasil de forma ética para presentear a alma gêmea.

Se você é dessas pessoas que busca o presente dos dias dos namorados uma semana antes, vem cá e não me da um abraço. No meu ultimo dia dos namorados, planejei tudo com um mês de antecedência mas sei e entendo que existem outras pessoas que tem a dificuldade né por isso essa é uma wishlist que funciona como sugestão e para ficar ainda melhor esse post é TOTAL #SLOWFASHION ou seja marcas brasucas, com produção nacional, mão de obra nacional, ou a escritora é brasileira, tudo legal e empoderador para mimar a pessoa e ainda incentivar o mercado nacional.  Presentes criativos que ainda representam bem, quem nao gostaria de ganhar uma mochila de unicornio? Ou um oxeford de constelaçao?

PRESENTES CRIATIVOS DIA DOS NAMORADOS - CAOSARRUMADO.COM

preciso dessa estampa da Hermione!

 

1 – VESTIDO MANGA LONGA POTTERHEAD $107,10
A marca Toda Frida é uma das minhas favoritas. Lançada em 2014 produzem estampas exclusivas e mega empoderas dentro do universo Geek. No caso esse vestido é todo magico “Varinhas, Vira Tempo, Lumos! Todos os elementos mais marcantes da saga Harry Potter que nós tanto amamos reunidos nessa estampa exclusiva da TF desenhada pela ilustradora Shi Chelminski ” vai do PP ao XG.

2 – T-SHIRT IT’S FEMINIST $59,00
Vandal não é uma marca de uma so pessoa mas um conjunto de estampas desenhadas por varias pessoas (o que me lembra muito o consumo/economia colaborativa). A estampa é uma das melhores que já vi e faz analogia para uma das frases mais marcantes de Hermione mas na sua melhor versão GRL POWER“It’s Feminist not FemiNAZI”. Esse é um presente que ia amar receber.

3 T-SHIRT BITCH, BETTERHAVEMYMONEY $69,90
A Ziovara é uma das marcas que tem feio maior sucesso na internet, nao possui loja fisica e em junho agora completa um ano. Uma pegada bem cool e diferentona, assim como essa estampa que ganhou nosso core.

4 – CONSTELAÇÃO OXFORD $139,00
A marca Insecta Shoes alem de ser slowfashion também é vegana o que torna tudo ainda melhor. A estampa de constelaçao é muito bem vinda e diferente, é um daqueles itens desejos por serem bem exclusivos.

5 – Tá Todo Mundo Mal $29,90
A autora é nada menos nada mais que a maravilhosa Jout Jout, o livro aborda de forma divertida sobre as angustias e como podemos resolver.

6 – BLUE UNI BAG $ 160,30
Por que uma mochila com estampa de unicórnio é fundamental em qualquer armario. A marca Louloux é pet friendly e seus sapatos e bolsas são produzidos de forma artesanal, com temas e modelos exóticos vai te conquistar.

7 – Brincos de Abacaxi $20,00
A Felini é uma marca amor e total handmade os produtos sao sempre diferentes e divertidos. O brinco de abacaxi foi meu escolhido da vez, gostei por que é de tecido, mas tem tantos outros produtos que é dificil nao querer comprar todos!

 

Voce ja sabe o que escolher? Me conta aqui o que voce quer ganhar também se tiver qualquer outra sugestao ou uma marca no mesmo estilo também quero saber.

 

AH APROVEITA E PARTICIPA DA PESQUISA DO AMO CLICANDO AQUI 

E pra ficar estar por dentro de TUDO fique por dentro das redes sociais do CAOS:
fanpage instagram @fialhogi – google + – bloglovin  

Gi, tem 22 outonos, fez as malas e foi morar sozinha em outro pais. Paulista, adora descobrir novos lugares em São Paulo e criar listas com o namorado (que mora no Brasil) vegetariana, apaixonada por tudo que é lúdico, exótico, doce e colorido.
Theme developed by Difluir - http://themes.difluir.com