/ moda

Como sempre, estou levemente atrasada (e nem foi combinando com a Paulista, avenida que representa o cotidiano da megalópole que é São Paulo) mas estou aqui compartilhando #lookrealidagi . Usei ele para jantar com o boy, fazia tempo que buscava um conjunto mais ousadinho e a proposta da marca Bela Carioca atendeu bem as minhas expectativas fashionistas.

 

Combinei com meu tênis guerreiro de feltro e uma bolsa lateral que ganhei de presente dos meus tios da Itália. O cropped é tipo cigana mas possui alças que sustentam o busto dispensando o uso de sutiã ou coisa parecida. Ele tem botões na frente o que de inicio me incomodou um pouco e me deixou insegura, tinha medo que a qualquer momento um deles ia explodir não pelo tamanho que era o certo, mas por que é com elástico.

A pantacourt cintura alta tem um zíper invisível nas costas e seria perfeita se não fosse a costura lateral meia torta. Assim de longe passa desapercebida, mas para a gente que é mais exigente fica complicado. Ela tem um shorts que funciona como forro, mas não se preocupe o tecido não é transparente! Leve e bem molinho o conjunto me trouxe conforto (depois que superei os botões no cropped).

 

 

Gosto da cor e da estampa! Parece listras mas são cordas com nos na vertical. Gosto da composição equilibrada, uma cor docinha mas com uma pegada urbana e conceitual. Aqui o detalhe era para a barriga a mostra mais o decote que poderiam ficar over/vulgar, porém no todo, a composição tem duas peças especiais e com muita identidade, a calça pantacourt quebra a ideia sexy, deixando contemporânea e cosmopolita. Outra coisa foi optar por não deixar a vista a meia dando um efeito leve de continuidade e me achatando menos (já falamos sobre isso aqui lembra?). O dia na Paulista pedia peças mais leves e adorei muito, para dar um ar mais sofisticado ao look podia apostar em um escarpin que transformaria a composição, mas como era algo mais informal, o tênis foi justo para a ocasião.

A marca é carioca e eu sou paulista de corpo e alma, o match foi certeiro e pretendo usar muito as duas peças sem me prender ao conjunto. Vejo muito potencial e versatilidade, afinal moda tem que ser criativa! Agora me conta o que achou?

Gi, tem 22 outonos, fez as malas e foi morar sozinha em outro pais. Paulista, adora descobrir novos lugares em São Paulo e criar listas com o namorado (que mora no Brasil) vegetariana, apaixonada por tudo que é lúdico, exótico, doce e colorido.

Livros sempre fizeram parte da minha vida. Até uns anos atras era comum ler pelo menos um livro por mês, mesmo na escola quando ninguém achava “cool” ler, lá estava Xofanna com um, quando sofri bullying foram os livros que me salvaram (e assim conheci a Meg Cabot – autora do Diário da Princesa e me apaixonei ainda mais pelo universo Harry Potter). Com o passar dos anos fui trocando (de forma involuntária) páginas de papel por abas abertas no chrome. Cresci no escritório do meu avô cercada por seus papéis – foi inclusive ele quem me ensinou a desenhar – então para mim é muito difícil ler online, preciso ter o contato com o papel, tenho prazer em sentir seu perfume (as vezes entro em livrarias e quando ninguém esta olhando fico cheirando livros e isso talvez seja a coisa mais estranha sobre minha pessoa). Por isso uma das minhas metas de 2017 é voltar com minha rotina de leitura, sinto que mais do que nunca preciso retomar esse meu hábito, não só pela diversão mas para melhorar minha escrita aqui no blog. Separei 12 títulos que quero muito ler esse ano e convido vocês a lerem comigo.

Na lista temos livros de moda, romances, planners e biografias, bem variados em sua maioria mulheres como autoras (acho que apenas dois livros da lista foram escritos por homens). Vou “quebrar” o post aqui porque ficou longo por conta das sinopses, mas se você ficou curiosa é só clicar em – LER MAIS

 

E se você tem algum título para me indicar por favor deixe nos comentários e estou pensando seriamente em criar um clube do livro ou algo assim para discutirmos sobre os títulos. Deixe aqui nos comentários sugestões de autores e o que quiserem e não esqueçam de seguir o Caos no instagram e facebook.

 

Continue lendo →

Gi, tem 22 outonos, fez as malas e foi morar sozinha em outro pais. Paulista, adora descobrir novos lugares em São Paulo e criar listas com o namorado (que mora no Brasil) vegetariana, apaixonada por tudo que é lúdico, exótico, doce e colorido.

A estação mais quente do ano sempre nos reserva bons retornos, dessa vez a viseira ficou na nossa cabeça. Que não tenhamos preconceito em provar novos acessórios, ainda mais com essa pegada nostálgica que as viseiras tem. O retorno se deve a ascensão de um estilo mais esportivo e o retorno dos bonés como item fashionista (princesinhas de aba reta levantem a mão) de dois anos para cá.

A viseira nada mais é que um boné – só que só com a aba sendo vazado na parte do corpo cabeludo – isso é claro, sua função no inicio nada mais era que proteger os olhos da claridade solar só que sem esquentar a cabeça (to muito piadista hoje). O acessório provem do armário masculino e não sei (mas se você souber me diga) quem foi a pioneira que tirou do boy e se atirou lá pelos verões de 1960 onde o item se popularizou nos Estados Unidos.

Repaginada a viseira vem dominando a cabeça das fashionistas com diversos estilos.

Alem de ajudar na hora de elaborar looks de verão onde menos é fundamental porque não queremos morrer de calor, o item trás muita personalidade a composições simples como um biquíni e um maio, tendo um maior impacto visual alem de mega estiloso.

Com uma releitura mais fashionista cheias de estampas e cores ganhou o coração de famosas e principalmente da Rihanna que adotou o item e tem dado várias lições de como combinar.

Meus preferidos são com aba plástica, o ar dos anos 80 meio futurístico combinam muito mais com meu estilo mais arrojado e justamente não se engane que viseira é um acessório só de praia, como sempre falamos – toda peça é versátil, precisamos só usar a criatividade e observar o potencial de cada uma.

+ MONOCROMATICA 

A blogueira Mica optou por uma viseira fosca com uma pegada descolada junto com o óculos e a corrente de prata. A calça e a bota alongaram e a camisa amarrada na cintura deu mais movimento e um ar informal, no maior estilo esporte chic.

 

+ ROCK GLAMOUR 

Sou contra rotular estilos, ainda mais quando falamos de moda rotular é meio que limitar, mas não consegui pensar em um título melhor para essa composição que tomou meu coração. A regata de malha contrasta com o colar e as pulseiras de prata, assim como a calça meio bóxer de couro (esperamos que fake) com elásticos na cintura. Bem urbana, mostra que como boas peças básicas bem coordenadas podem transformar um look. A viseira deu ar mais ousado para o look. Amei? AMEI MUITO.

 

+ RIHANNA RAINHA 

Mais uma prova que básicos tem toda graça se bem coordenados. A blusa de malha com pegada trash e o jeans overside rasgadinho cintura baixa com a pegada podrinho, ganham outro ar com a viseira que como acessório da uma idéia de mais arrumadinho, alem do contraste de dois estilos que eu amo tanto.


A gente adora uma releitura, dar vida a peças mais antigas mas confesso que assim como as pochetes eu torcia o nariz (particularmente xofanna falando), mas a gente paga com a língua, seja pelo excesso de vezes que vemos e acabamos gostando ou por que a gente amadurece e entende que toda peça tem potencial só precisamos explorar e descobrir uma forma que ela represente nosso estilo individual.

Gi, tem 22 outonos, fez as malas e foi morar sozinha em outro pais. Paulista, adora descobrir novos lugares em São Paulo e criar listas com o namorado (que mora no Brasil) vegetariana, apaixonada por tudo que é lúdico, exótico, doce e colorido.
Theme developed by Difluir - http://themes.difluir.com