25 parabéns para mim - Caos Arrumado - Free Presets & Viver na Itália

COMO ME SINTO

25 parabéns para mim

, por fialhogi

Feliz aniversário para mim! Ontem completei 25 primaveras bem vividas, aos trancos e barrancos cheguei até aqui, o mais longe que fui, mas certamente ainda está muito longe de onde quero chegar.

Acredito que é muita prepotência da minha parte dizer que tenho historias para contar. Mas na real, é que vivo por historias. Vivo para ser criadora e criação.

” o que vão pensar ? ” criatividade e auto-sabotagem

CAOS ARRUMADO - GIOVANNA FIALHO GI FIALHO GINNA FIALHO

Esse ano meu aniversário tomou um significado diverso, talvez porque nunca me vi tão diferente. Na verdade é que no fundo do meu coração, queria ser peter pan, me enxergava como uma menina.

A palavra mulher não cabia a mim. O peso da responsabilidade e da seriedade disso não estava na minha lista. Pra mim não dava pra ser mulher e continuar sendo alegre, intuitiva e principalmente saltitante.

O receio de perder a pouca inocência e ingenuidade que ainda me confortam e fazem ter esperança em uma sociedade doente, que parece que saiu da quinta serie, disputando quem tem o pau maior.

O ultimo ano foi de descobertas interiores, de me deixar florir. De me respeitar e voltar a me abraçar.

No meio de todo caos a minha volta, me perdi de mim mesma e estava cada vez mais longe da mulher que um dia eu teria que me tornar.

Pensei que era livre de padrões, mas no momento seguinte com o desespero de pertencer a alguma coisa, aceitava outro padrão com a verdade oposta.

Já diria a Jana do Futilidades “A liberdade no seu sentido mais puro é respeitar que em vários momentos não saberemos ao certo onde nos enquadrar e vai estar tudo bem.”

tag: 50 fatos sobre mim!

Meu corpo nunca esteve tão diferente, engordei 10kg no último ano, minhas roupas não me servem mais, porém também não fiz questão, porque quase todas elas não me representavam mais.

Ao mesmo tempo que buscava internamente um padrão: “sou gorda demais para ser magra e magra demais para ser gorda” não me importava muito com isso. Porque no final, isso não é mais prioridade na minha vida. Isso não faz mais diferença.

Durante muitos anos liguei meu valor a imagem refletida no espelho, pela primeira vez desde que me conheço por gente me acolhi. Não de me achar bonita todo dia, mas de ser confiante na pele que visto, não importa o peso, a roupa ou o cabelo.

Ah sim o cabelo! Desde os 15 anos com cabelos na altura da cintura (ou as vezes quase bunda), porque “cabelos longos são mais femininos” “cabelos cumpridos são mais sexys” “homens preferem mulheres com cabelos longos!”

O cabelo era uma armadura, na minha cabeça, insegura e buscando aceitação, eu precisava ter algo de bonito pra distrair todas as outras imperfeições.

Falei sobre isso quando mudei a cor para verde, mas foi quando cortei que me reconheci no reflexo. Tudo se encaixou e sinto que consigo expressar isso de forma clara.

Fazia um tempo que não me sentia tão confortável ao me fotografar. Acho que as últimas vezes que fiz isso, tinha 14 anos (olha o lookbook ai haha)

Fiquei noiva, estou concluindo um curso, tirei o aparelho, cuido de uma casa, começo uma carreira, comecei minha família, li muitos livros, tenho desenvolvido minha fotografia mesmo que de forma amadora.

Outras coisas que aprimorei foi minha relação espiritual, sou mais atenta a minha intuição. Me tornei um pouco mais paciente, e isso me tem me ajudado a entender e aceitar que as coisas acontecem como tem que acontecer e não como quero que aconteçam.

Desculpa se de alguma forma, algum dia fui toxica para você, tenho evoluído e buscado me desconstruir todos os dias.

Se a Giovanna de 15 anos me visse hoje, estaria orgulhosa da mulher que tenho me tornado, sem deixar de ser alegre, intuitiva e completamente deslumbrada com tudo.

    Comente!

    Gi Fialho

    Comente este post!