O ponto de vista da minha história | 2019 - Caos Arrumado - Free Presets & Viver na Itália

COMO ME SINTO

O ponto de vista da minha história | 2019

, por fialhogi

2009 foi o pior ano da minha vida, tenho algumas boas histórias, mas o sentimento que me vem à cabeça quando me recordo das manhãs de 2009 é de desespero, instabilidade e ansiedade. 

É engraçado que de 1999 para 2009 um tempo infinito se passou, enquanto de 2009 para 2019 parecem que foram apenas 3 longos domingos. 

A minha percepção de tempo mudou, porém minhas memórias continuam claras e límpidas. Consigo reviver os momentos pelas músicas que me acordava para ir a escola: Como Party in The U.S.A. O celular vibrando e somando na minha mesa de cabeceira com um abajur de ursinho, entre minha cama e a da Nanda, no quarto amarelo bebê com uma janela que dava para rodovia, em Pirituba. 

Existiram tantas Giovannas em uma, que às vezes tenho a sensação de que não sei bem ao certo quem deveria ser. Meus sonhos se ajustaram e a expectativa que tinha da minha vida naquela época é tão diversa da realidade, que talvez nem estejamos falando da mesma pessoa. 

A Giovanna de 2010 tinha descoberto com entusiasmo a vida na internet e se sentia confiante ao som de tik tok da Ke$ha, as infinitas possibilidades de uma escola nova e toda uma história que podia ser melhor escrita. Ninguém tinha um  passado ali, apenas o futuro e a projeção que nós mesmos queríamos. E me sinto exatamente da mesma forma hoje. 

A diferença é que no final de 2010 eu jurava que em 2019 estaria noiva do Patrick, que hoje é só um amigo querido, enquanto já estou casada com o Erik. 

Mudei de cabelo, de namorados, ruas e até mesmo de documento. Mudei de ideia, e mudei mais uma vez. Paguei com a língua tudo que fiz e tudo que disse, talvez até crocs tenha usado para ir além da Padaria. Fui além da padaria algumas vezes ao longo dos anos, lugares que não imaginaria conhecer em um espaço de tempo tão rápido ao mesmo tempo que é tão longo. Quantas vidas se vive em 10 anos. 

O ponto de vista da minha história | 2019

Se fosse uma criança, já saberia ler. Se fosse um gato ou cachorrinho, estaria entrando na sua fase “idosa”, se fosse um celular, provavelmente seria azul com branco e apenas um jogo da cobrinha. 

Como é bizarra nossa consciência de tempo e idade, em 1999 com apenas 5 anos eu imaginava que 30 anos era “velha” e que não poderia esperar muito mais da vida. Em 2009 com 15 anos, achava que em 10 anos teria um apartamento em São Paulo, um noivo bacana, duas gatas e talvez estivesse grávida da primeira filha depois de ter iniciado minha carreira promissora de estilista de roupas com duas capas da Vogue assinadas. 

Eu achei que 10 anos jamais passariam, mas um dia eu acordei e li páginas de um diário de uma rotina que não vai mais voltar mesmo, e que o mundo girou 10 vezes, enquanto esperava por alguma coisa que ainda nao sei.  

Me reconheci alguns dias, outros não.  Me senti com 15 e com 85 anos mais de uma vez na semana. Li mais livros que imaginei que não tivessem algo em comum com Harry Potter, me desapeguei daquelas minhas roupas preferidas e saias rodadas que tanto marcaram meu estilo, me libertei de alguns medos e fiz as pazes com alguns outros, me iludi sozinhas mais vezes do que gostaria,  desapontei pessoas que esperavam de mim coisas que nao podia dar, provei peixe cru pela primeira vez e acho que gostei, era extremamente convicta que certas amizades eram para vida toda e que certas formas de relacionamento são as únicas certas. 

Sinto que estou onde deveria estar mas, também não estou convicta. Sei que todos os caminhos me levaram para onde estou hoje, que é o mais longe que já cheguei mas não o mais longe que posso chegar.  Nesse momento de reflexão eu só agradeço e confio literalmente. Sei onde devo melhorar e busco ouvir além da minha intuição os sinais que o universo compartilha comigo. Percebo que preciso confiar mais em mim mesma e em minhas vontades. 

Olhando as fotos eu percebo o tempo, mas de forma simultânea parecem apenas 10 dias. 

    Comente este post!

    • VERA PEREZ FIALHO

      Minha menina cresceu… e naturalmente tb cresceram as dúvidas, a maturidade parece dura, mas, saiba que é um dádiva de Deus que nos concede todos os dias refletir e melhorar nossas escolhas de forma muitas vezes mais acertivas, portanto, vá em frente e sempre se lembre de minhas palavras atravéz da letra dessa música que já lhe apresentei ” o melhor da vida vai começar…”
      Vc é incrível e conquistará o mundo, não tenho a menor dúvida.

      responder